terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eu escrevi isso chorando e assistindo um filme idiota

Tô começando a escrever isso às 1:51 da madrugada e esse é o meu fluxo de pensamentos a essa hora então vou na onda.

Caso você não saiba eu tenho probleminhas psicológicos, eu tô bem acostumada com eles e parecem fazer parte de mim. Eu to bem acostumada a só ir dormir às 2:30 da madrugada depois de me revirar na cama diversas vezes, assistir um ou dois filmes e criar teorias sobre o universo e a minha função nessa grande bola coberta de agua que não escorre pelas beiradas que no momento acredito que seja: sofrer.

Eu não gosto muito de ser eu, na verdade eu acabei de perceber isso, eu vivo fugindo do que eu sinto, eu não gosto de me olhar no espelho, apenas suporto porque eu sou obrigada a isso, me encho de maquiagem por que eu acho legal ou pra rebocar minha cara e ver que eu não tenho tantos defeitos. Odeio meu peso, meu corpo e como meus braços são finos. Eu até tenho momentos extremamente nascisistas, mas passa.

EU NÃO SEI COMO AINDA EXISTE ESPERANÇA DENTRO DE MIM PORQUE EU ME SINTO EXTREMAMENTE MAL COM TUDO ISSO.

Eu escrevi isso chorando e assistindo um filme idiota

Tô começando a escrever isso às 1:51 da madrugada e esse é o meu fluxo de pensamentos a essa hora então vou na onda.

Caso você não saiba eu tenho probleminhas psicológicos, eu tô bem acostumada com eles e parecem fazer parte de mim. Eu to bem acostumada a só ir dormir às 2:30 da madrugada depois de me revirar na cama diversas vezes, assistir um ou dois filmes e criar teorias sobre o universo e a minha função nessa grande bola coberta de agua que não escorre pelas beiradas que no momento acredito que seja: sofrer.

Eu não gosto muito de ser eu, na verdade eu acabei de perceber isso, eu vivo fugindo do que eu sinto, eu não gosto de me olhar no espelho, apenas suporto porque eu sou obrigada a isso, me encho de maquiagem por que eu acho legal ou pra rebocar minha cara e ver que eu não tenho tantos defeitos. Odeio meu peso, meu corpo e como meus braços são finos. Eu até tenho momentos extremamente nascisistas, mas passa.

EU NÃO SEI COMO AINDA EXISTE ESPERANÇA DENTRO DE MIM PORQUE EU ME SINTO EXTREMAMENTE MAL COM TUDO ISSO.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

esclarecendo coisas que não precisam ser esclarecidas

todo ano eu tenho a mesma meta, mas todo ano eu falho miseravelmente.

eu sempre penso e coloco na minha cabeça "esse ano eu vou encher um caderno de textos, pensamentos e coisas não tao legais mas que fazem parte" e sempre falho. achei que conseguiria em 2016, comecei toda empolgada, mudei varias vezes o blog e acabou que ca estou eu, voltando de uma longa fase sem escrever, sem postar nada, sem comentar em outros blogs e eu não me orgulho disso.

mas a vida tem dessas né? eu vivo mudando de plataforma mas sempre volto pra cá por que eu to acostumada, no fundo eu não sei bem o que eu quero e mesmo que eu mude duzendas vezes eu vou voltar pra cá.

tenho escrito pelo celular então não fique assustado com a pouca quantidade de posts e o tamanho deles. to tentando levar tudo numa boa, mas ta difícil.

sábado, 20 de agosto de 2016

sindrome de Amelie Poulain

você já deve ter ouvido falar ou ter assistido o filme: O fabuloso destino de Amelie Poulain. tenho um amorzinho por esse filmes, ele não é O FILME mas sim eu gosto dele, talvez porque ele me leve a pensar em certas coisas em mim, certas coisas que eu não gosto de pensar.

assisti esse filme pela primeira vez no ano passado e percebi que eu estava tentando fugir da realidade e ainda tento, é algo que eu simplesmente não consigo controlar, só acontece. segundo uma amiga minha eu tenho síndrome de Amelie Poulain porque:

1-eu fujo da realidade
2-eu ajudo todo mundo e esqueço de mim
3-sinto prazer em observar pequenos detalhes
4-eu preciso de alguem que tenha a confusão parecida com a minha (segundo ela)

eu sei que tudo ali é verdade e o que eu posso dizer é que é tudo coisa de pisciana. sorry
  
sim, eu faço essa cara de boba e é incontrolável

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

II

deita no meu peito
fica calma
nada é perfeito

não perca as esperanças
lembra dos teus sonhos
de quando era criança

sabe as dores?
elas vão passar
assim como os amores

talvez a felicidade esteja ali
na esquina, no boteco
ou esteja em mim

eu não gosto de escrever coisas assim, mas as vezes sai
escrito há dois meses atrás

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

não sei exatamente

eu não sei o que eu quero, na verdade eu não sei nem onde que eu tô.

eu tava fuçando meu Instagram e vendo um monte de coisa bonita, gente talentosa e umas florzinha porque amo florzinha, cheguei a conclusão de que eu não aquieto o facho. eu gosto de tirar foto de flor, de artigo de papelaria, umas foto borrada e sei lá mais o que, esse nem é o problema, o problema mesmo é que tudo que fotografo eu fico "nossa que melancólico", "que coisa mais triste" e nhenhenhe

eu nunca tô satisfeita com nada e quero mudar a todo minuto, eu não sei o que rola dentro de mim
eu tava pensando em cursar letras, mas dai apareceu historia da arte e depois jornalismo e pá eu já nem sei o que quero. mamãe disse que tudo vai acontecer no seu tempo e que vai dar tudo certo, mas eu tô nervosa e eu ainda tô no ensino médio, mas é que eu quero tanto fazer algo que gosto. as vezes eu queria largar tudo e vender minha arte na praia (no caso, livretinhos com umas poesia, mas nem tenho grana pra impressão e minha impressora quebrou)

tbm queria saber desenhar, mas é aquela coisa querer não é poder

terça-feira, 2 de agosto de 2016

I

não me venha com expectativas
esqueça as fantasias

o amor não é tão satisfatório como disseram
medo de não ser suficiente
aloja-se no peito

o fim se aproxima de leve
mansinho

a dor da perda passa
sempre passa
eu acho